Páginas

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Corno Franca: Ela me disse que estava cuidando de um Tio doente dela..

corno franca

CORNO FRANCA-SP: A dança do elefantinho...saca só a tromba do rapaz...vc encararia?

CORNO FRANCA - Conto erótico - Meu marido ficou bêbado na viagem..

CONTO EROTICO: MEU MARIDO FICOU BEBADO NA VIAGEM


Meu marido sempre foi ciumento e por isso estranhei quando ele me pediu para escolher uma minissaia como saída de praia. Iríamos a um hotel-fazenda comemorar nosso terceiro ano casados. Experimentei umas três minissaias e ele achou a todas muito comportadas e eu desisti. Shopping nos domingos, com lançamento de filmes infantis, é uma merda – uma criançada barulhenta demais.
Naquela noite a televisão exibiu um filme de 1992 – Instinto Selvagem – e meu marido não parou de elogiar a sensualidade de Sharon Stone, entre outras. Aquilo me provocou e resolvi atiçar seu antigo ciúme.
Era uma excursão de fim de semana que nos levaria ao hotel-fazenda num comboio de dois ônibus. Sairíamos às quatro da madrugada para o ponto de encontro e a excursão se iniciaria pontualmente às cinco horas.
Malas prontas, casaco, moletom, tudo para vencer a friagem da madrugada. Percebi a decepção no olhar de meu marido, mas ele nada comentou. Ar quente do carro ligado, pedi para ficar mais alguns instantes enquanto ele guardava a mala no ônibus e lá se foi ele.
Me livrei do moletom, e com o casaco bem cumprido fui encontra-lo junto a um grupo de amigos dele – exclusivamente dele, eu não conhecia ninguém!
Minhas pernas estavam arrepiadas pelo frio, mas exposta como ele queria. Só que o casaco quase encostava no joelho. Ainda assim quando me afastei em direção ao ônibus um dos “amiguinhos” dele o conteve e comentou que eu estava “deliciosamente arrepiada”. A-do-rei!
Foi instantâneo, ele veio reclamar por eu ter tirado o moletom naquela friagem e eu respondi que estava apenas vestida para excursão como ele me pedira, sensualmente. Ele riu debochado...
- Desde quando um casacão é sensual?
- Todos os seus amigos admiraram minhas pernas, não tiraram os olhos e até notaram o quanto eu estava arrepiada. Não notaram?
A pergunta sarcástica o deixou sem repostas.
A viagem seguiu e chegamos no hotel 7 horas depois, em plena hora do almoço. Fomos para nosso quarto e Almir parecia faminto ou ansioso para descer. Arrumado, celular em punho, ele foi liberado por mim e parecia saltitar com aquela provisória liberdade. No corredor perguntou a um amigo qualquer pela Vanessa. Não me espantei, ele sempre quis ser um galinha, mas era incompetente demais, pelo menos para isso.
Tirei meu casaco, arrumei os cabelos desarranjados na viagem, me olhei no espelho e não gostei do que vi. A minha minissaia, que eu achara muito curta, agora parecia cobrir demais minhas pernas. Era a vingança gritando dentro de mim sem que eu percebesse.
Enrolei um pouco a minissaia na cintura e mal terminava minha bundinha arrebitada terminava o pano da rodada minissaia escolar encimada por uma camisa marinheira azul e branca, linda, decotada e apertadinha. Meus seios, livres do sutiã, estavam ainda mais colados um no outro e pareciam que iam fugir da camisinha justa a qualquer momento. Ele pedira e estaria recebendo em breve minha visita como uma galinha das mais sensuais do hotel.
Quando surgi no alto da escada provoquei um leve silêncio masculino. Os que me viram se calaram olhando fixamente para mim. Me senti ousada demais, enrubesci, mas era tarde demais para voltar atrás e me obriguei a demonstrar uma superior tranquilidade.
Almir falava com uma morena magra demais, empolgado, sorridente mas percebeu algo no ar. Ao me ver descendo a escada abandonou a morena raquítica (exagero de mulher vingativa) e veio ao meu encontro no pé da escada.
- Você está louca? Parece uma puta!
- Estou trajando como você me implorou e quase obrigou, estilo Stone Sensual! – eu ri francamente para ele olhando os homens ao redor. A maioria babava, uns fugiram do meu olhar, mas sempre tem um pequeno grupo de canalhas que se insinuam nesta hora sustentando um olhar que é puro tesão.
Eu só não contava que um canalha atrevido fosse “amiguinho” do meu marido. Ele se aproximou desafiando-me com seu olhar cobiçador e eu sustentei o olhar ao ponto de meu marido acompanhá-lo para encontrar seu “amiguinho” na outra ponta.
Eu estremeci quando ouvi sua voz, era a mesma voz máscula que registrara meu arrepiamento ao Almir.
- Almir! Que esposa maravilhosamente bela!
Ele falava com Almir sem nem olhar para ele. Seus olhos corriam meu corpo tentando indisfarçavelmente me despir. Não me deixei intimidar e até o imitei. A canalha aquele dia era eu!
- Desculpe-me Almir. – Ele sussurrou para apenas eu e meu marido ouvirmos. – Ela é de fechar trânsito. Não consigo conter minha ereção, meu tesão! Que escândalo de mulher, parabéns!
Voltando a voz normal:
- Mas não posso deixar de tentar: Me empresta ela só por um dia!
Para aliviar ele deixou fluir uma estrondosa gargalhada e muitos riram, me dando a certeza que éramos o alvo das atenções.
Ele me pegou pela mão, me conduziu a uma poltrona baixa, eu percebi o que ele queria, mas sentei de lado no canto formado pelo braço e encosto e assim, de lado, só minhas coxas ficavam totalmente expostas. Ele sentou-se de frente para mim deixando seus olhos gravarem cada detalhe do meu insinuante corpo naqueles trajes solicitados pelo meu marido.
Almir, preocupado mas cordial, se juntou a ele e logo um grupo de “amiguinhos” do Almir estavam a nosso redor. Depois da audácia de Felipe todos se sentiram à vontade para me comer com os olhos e elogiar meus dedos, minhas orelhas, o brilho dos meus olhos – pareciam seguir um manual e ninguém, a não ser o Felipe, é claro, falava de minhas coxas e ainda reprimiam o Felipe dizendo que ele era vulgar.
Mas a petulância combinada com a voz naquele homem, aliadas a minha ainda imperceptível ânsia de vingança, estavam fazendo efeito no meu corpo, na minha libido, na minha cabeça, em mim. O tesão se manifestava a cada toque, a cada elogio sincero, a cada olhar sensualmente provocante ou que mergulhava em meu olhar.
Eu estava tranquila. Adoro meu marido, sempre fui fiel, estava comemorando nosso aniversário de casamento e o Almir não tinha nada a temer.
Sou nova e conheço pouco da natureza humana. Almoçamos, me recolhi e deixei Almir soltinho para sua Vanessa que já não representava qualquer risco. Eu estava mesmo cansada da viagem.
Almir voltou ao nosso quarto, remexeu nossa mala, pegou o cartão bancário que havíamos escondido nela e eu não resisti e fingi acordar.
- O que houve querido?
- Amor estamos com muita sorte. Já tinha ganho R$ 3.000,00 quando me distrai e perdi tudo, mas estou indo recuperar tudo que perdi.
- Você não sabe jogar, querido!
- Não sou profissional mas sempre joguei pôquer – era mentira – e estou ganhando, só perdi até agora duas rodadas. Vamos sair daqui com uma bolada.
- Quanto você vai jogar agora?
- Só uns R$ 100,00, ele me tranquilizou.
Tomei de volta o cartão, dei a ele R$ 300,00 em espécie que eu trouxera para possíveis emergências e disse a ele que não gastasse um centavo além daquilo.
Desci pouco depois e Almir já devia ao Felipe mais de R$ 2.000,00. Assim que cheguei à mesa, com a mesma minissaia uma dobra mais cumprida e uma camiseta sem mangas (e sem sutiã para provocar ainda mais o Almir com sua leve transparência que permite vislumbrar as auréolas) Felipe se levantou e informou ao Almir que iria descansar uma rodada e iria oferecer-me um refrigerante no bar.
Almir nem ligou, tudo que ele queria é que eu não descobrisse sua dívida.
- Aninha – ele já se sentia amigo íntimo – tira o Almir dali. Já emprestei R$ 2.000,00 e ele, nervoso, já bebeu todas. Esta sem condições emocionais e sem a sobriedade necessária para se recuperar.
Meia hora depois, com a ajuda de Felipe, levei Almir para nosso quarto e evitando a cama, preocupada com possíveis assédios de Felipe, deixei Almir na poltrona. Ele estava pior, anunciava vômito e Felipe me ajudou a conduzi-lo ao banheiro onde ele vomitou, onde tiramos toda sua roupa com restos de vômito e o jogamos no box para um banho.
Fui buscar um roupão. Fechei a bica do chuveiro e, pela primeira vez, percebi em minha bunda a ereção de Felipe que me ajudava a vestir o Almir. O jeito foi leva-lo para cama onde caímos os três agarrados pelo Almir que chorava sem saber como pagar o “amiguinho”.
Foi Almir quem propôs o absurdo.
- Te empresto minha esposa essa noite se você perdoar minha dívida!
Ele estava definitivamente muito bêbado e desesperado para falar tal besteira.
Felipe contornou:
- Você está muito louco. Não conseguiria permitir nem que eu beijasse sua esposa.
- Beija sim, pode beijar. Querida beija ele bem gostoso, tá!
A vingança falou mais alto. Felipe não fez qualquer menção de aceitar a oferta mas puxei pelo seu braço e ele se deixou conduzir ficando de pé bem de frente para Almir.
- Pois veja bem se aprova esse beijo.
Comecei a dar selinhos no Felipe para provocar o bêbado Almir.
- Que beijos de merda! você não sabe beijar mais mulher?
Era Almir com voz arrastada me censurando. Colei minha boca e meu corpo em Felipe e pela segunda vez senti sua ereção. Estava mais sólida, mais completa, meu corpo avaliou. Ele finalmente se entregou correspondendo ao meu beijo. Suas mãos passeavam em minhas costas e o Almir sentou na cama e conduziu a mão de Felipe para minhas nádegas.
- Sente a maciez e a delícia de bunda que minha esposa tem. Uma noite com ela deve valer minha dívida.
Felipe não deixou que eu interrompesse o beijo segurando meus cabelos e deixando a outra mão ser guiada pela mão de Almir que ditava o itinerário fazendo-o apertar minhas nádegas, levantar minha saia e depois a se introduzir por baixo da camiseta até atingir meu seios nu e deliciosamente intumescido.
Não precisamos mais de guia. Juntou meu tesão, meu desejo de vingança e o delicioso corpo e voz daquele macho e a estúpida vontade embriagada de meu marido endividado para me jogar na cama e me sentir ser desnudada, acariciada, sugada e levada a um intenso orgasmo com aquela boca quente passeando pelo meu sexo.
Rendida e endiabrada tirei a roupa daquele homem maravilhoso tentando compensar o prazer recebido com minha boca arrancando gemidos dele através das carícias em sua pica.
Ele me jogou na cama. Meu marido abriu e ergueu minhas pernas e ele me penetrou deliciosa e profundamente.
- Faz essa puta gozar como uma cachorra, quero vê-la feliz nesse nosso aniversário de casamento.
- Só não esquece de depois pagar a aposta, ela caiu como um patinha na dívida e na bebedeira e está ai gozando feito louca.
Quanto mais eu ouvia Almir falar mais eu gozava num misto de ódio, nojo, raiva, submissão, desejo, tesão, ansiedade e intenso e múltiplos orgasmos.
Nosso casamento acabou naquele dia. Nunca mais vi o Felipe – tenho saudades e espero que ele esteja lendo, já o perdoei – mas depois disso só tenho prazer sexual bizarro sendo humilhada, submetida, escravizada e se possível por dois ou mais homens a um só tempo.

CORNO FRANCA-SP - Obrigado, mais de 20.000 acessos em nosso Blog !!!



CORNO FRANCA - Amor, pode deixar que eu ajudo.... cuckhold

Note how erect he is while guiding a bare cock into his fertile wife.

Ela na praia.. todos olham, porque será?

This hotwife / MILF definitely got the hotwife dresscode memo.

Amor de pica, fica!

No, cuckold, it’s not your turn yet - her taking his load in her mouth was simply round one.

CORNO FRANCA - Obrigado a todos, mais de 20 mil acessos em nosso Blog ! ! !


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

AMIGA CASADINHA, VC TERIA CORAGEM DE DEIXAR O PERSONAL TRAINER TE COMER ENQUANTO SEU MARIDO ESTA NO TRABALHO ??


Ela está grávida, mas o frentista do posto não se importa..

After he gets her pregnant, it’s only natural that she’s only going to want her Bull inside her. You get that, right?



It’s also healthier for her and the baby to continue being exposed to the semen of her mate. This is one of the ways babies receive additional immunities and it lowers other health risks for the mother, but it only works through exposure to the father’s semen being inside the mother, not another male’s (like the husband’s).

See http://cuckoldmarriage.info/2011/01/oral-sex-improves-pregnancy-health/

Na praia vale tudo....

Mama vai...mama...... mulheres com leite são um tesão...



Minha esposa é gulosa.. mas mesmo assim eu sempre ajudo ...

Cuckold marriage foreplay.

Iron Man... pode?

I love Iron Man!  This one in particular.  I don’t know what it is about him, but I feel drawn to him. 

Ela é tão pequenininha e o macho tão grande... eita mundo desigual!!!

This might be where that cock starts out but we all know where it’s going to finish.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Ela pede carona, ma não deixa ninguém na mão...

Exibicionismo, tesão em mostrar e ser visto ....




O exibicionismo é uma parafilia (ou seja, um tipo de fetiche) caracterizado pela "necessidade" de mostrar-se, sexualmente falando, em locais públicos ou a outras pessoas com as quais não se tenha relações sexuais.

Quem já não ouviu por aí falarem de alguém que havia feito sexo dentro de um carro em local público, mesmo que tarde da noite. Ou de alguém que gostava de insinuar-se, nu ou semi-nu, para outras pessoas. Não é mesmo?

A questão é que o exibicionismo está muito presente nas vidas de muitas pessoas mundo afora. E essa prática desenvolve-se de muitas formas, da simples exibição do corpo nu, ao sexo ao ar livre, ou mesmo o sexo em lugares públicos, seja apenas pela sensação do risco de ser pego, seja pelo desejo de ser visto no ato sexual por outras pessoas que não estejam diretamente envolvidas nesse ato!


De acordo com a Wikipedia, a descrição de "exibicionismo" é a seguinte:


Exibicionismo é um desvio sexual manifestado pelo desejo incontrolável de obter satisfação sexual no fato puro e simples de exibir os órgãos genitais a outros.
Vulgarmente, por exibicionismo tem-se toda conduta que consiste em o indivíduo buscar fazer-se notar pelos demais. Neste sentido a palavra ganha diversos sinônimos e muitas vezes confunde-se com práticas comuns, muitas vezes alimentadas por regras de grupo (como ocorreria, por exemplo, em "bailes funks", concursos de "camiseta molhada", etc.) onde a conduta exibicionista e despudorada é não só incentivada, como valorizada.
Na gíria (Brasil), existem diversas expressões que definem pessoas de conduta exibicionista, como "perua" para mulheres que gostam de aparecer no vestuário, ou o jogador "mascarado", no esporte.
O exibicionismo eventual, decorrente de alteração momentânea dos freios psicológicos pela ingestão de substâncias desinibidoras (como, v.g., o álcool, certas drogas como o LSD, e outras), não pode se caracterizar como a típica parafilia do exibicionismo. Também aAgorafilia não se constitui exibicionismo, pois esta consiste na prática sexual em local aberto, independente da existência de pessoas observando.

Ou seja, o exibicionista tem a necessidade de mostrar-se, seja sexualmente, seja de outras formas em algum contexto social. No contexto sexual, a vontade intensa de mostrar-se nu, ou de realizar sexo em locais públicos ou frente a outras pessoas (ágorafilia) caracteriza-se como um tipo de exibicionismo, algo que dá prazer sexual aos seus praticantes.


O exibicionismo sexual em locais públicos é considerado crime, caracterizando-se como importunação ofensiva ao pudor, uma contravenção penal.

Assim, para sanar tal desejo sexual, muitas pessoas e casais optam por formas mais reservadas de prática desse fetiche. Alguns encontram casais e/ou pessoas que tenham o fetiche do voyeurismo, para assistir-lhes realizando o ato sexual, ou mesmo ficando nus em frente a amigos, às vezes eventuais desconhecidos, em suas casas ou ambientes conhecidos e reservados.

Outras pessoas, com as facilidades da vida moderna, já encontram uma opção mais própria para a realização do desejo exibicionista. Não sendo exatamente o propósito principal desse tipo de ambiente, as "casas de swing", ou seja, locais com o objetivo de reunir os praticantes do swing (breve, post sobre o assunto), servem de local ideal para as pessoas que querem realizar seu desejo exibicionista, mesmo não sendo praticantes do swing.

Enfim, o voyeurismo e o exibicionismo estão presentes na humanidade desde o início dos tempos também. Mesmo nos arquivos históricos de períodos como a Roma antiga, por exemplo, tem-se notícias de grandes festas exibicionistas, em geral os famosos "bacanais", onde as pessoas obtinham prazer de formas diversas, em geral em grupo, e o exibicionismo e o voyeurismo (que quase sempre andam juntos) encontravam o local ideal para sua expressão mais pura e livre.

Mas, e você? O que acha do assunto? Será que existe um pouco de voyeur e exibicionista dentro de cada um de nós? Deixe seu comentário!

A lista das 10 fantasias femininas...

MULHERES 
1 – Fazer sexo com um estranho

Isso mesmo, colocar uma roupa provocante, sair para curtir a noite, encontrar alguem que interesse e ir para cama com ele. Não precisa saber o nome, a idade, onde mora, de onde veio! Ou marcar um encontro pela internet em um motel e transar com um completo desconhecido. O que é até realidade para algumas garotas, para a grande maioria é uma fantasia deliciosa.

Seduzir é parte importante do processo!


2 – Serem tratadas como prostitutas

Para muitas mulheres existe um grande tesão fantasiar em estar na pele de uma prostituta. Ser paga para fazer sexo, ser tratada como objeto sexual, com um certo desdém. O sexo sem sentimento, compromissos ou pudores.


3 – Transar com outra mulher
Já disseram que toda mulher é, no mínimo, bissexual. Não acho que isto seja uma verdade absoluta, mas um fato é incontestável: as mulheres tem uma maior abertura a relacionar-se com o mesmo sexo. E transar com outra mulher está entre as fantasias mais desejadas e também mais reprimidas da maioria das garotas. Experimentar o cheiro, o toque, o gosto de outra mulher consome o imaginário sexual feminino.
Muitos homens adorariam assistir isso. Mas das fantasias masculinas trataremos logo mais!

4 – Fazer do homem o seu escravo sexual
Estar numa posição de domínio sobre o sexo masculino é uma fantasia comum entres as mulheres. E não somente no âmbito da sexualidade, mas muitas vezes esse desejo de dominar o sexo oposto estrapola os limites do sexo e se torna um desejo diário. Poder levar o parceiro para cama e poder usar, abusar e lambuzar de todas as formas possíveis e sem contestação!!
5 – Seduzir um homem mais jovem

Muitas mulheres tem a fantasia sexual de seduzir e ir para cama com um homem mais novo que elas. Estar na posição de experiente, de professorinha do sexo, é um desejo que as mulheres principalemnte as mais velhas tem. Sentir-se desejada, colocar em prática suas armas de sedução e consegui efetivar a consquista de um homem mais jovem é como um troféu para elas.
6 – Menage à trois com dois homens
Fazer sexo a três é uma fantasia da maioria das pessoas, sejam 3 homens, 3 mulheres, 2 mulheres e 1 homem ou a mais interessante para a maioria das mulheres: ela e mais 2 gatos! Ter dois homens, dois pênis, quatro mãos, duas bocas para servir e aproveitar não é para qualquer uma! É preciso ter atitude e coragem para encarar sem grilos e colocar essa fantasia deliciosa em prática!
7 – Transar em lugar público
Elevador, praia, piscina, parque, boate, cinema, são somente alguns lugares que aguçam os sentidos daquelas que adoram uma situação de perigo. Aquele friozinho na barriga de quem pode ser pego a qualquer momento é um verdadeiro afrodisíaco para boa parte das mulheres.

8 – Serem dominadas e forçadas a transar
Muitas mulheres tem o desejo de fingir (eu disse FINGIR ein galera, nada de sair por aí catando as muié a força, credo!) ser forçadas a transar. Se colocarem numa situação FICTÍCIA de abuso sexual. A sensação de ser dominada, abusada, subjulgada é excitante para muitas garotas. Algumas tem o desejo de serem amarradas, terem seu corpo violado sexualmente, serem pegas com violência em um jogo de sedução e poder.

Algumas somam a esse jogo de sedução, práticas sexuais de submissão e domínio mais especificas como o BDSM.
9 – Exibicionismo
A mais comum de todas as fantasias sexuais femininas. Seja do tesão em um belo strip tease, ou talvez exibir-se na webcam, ou numa dança sensual ou até mesmo transar com alguem observando. Não há nada que excite mais uma mulher do que seduzir estando em evidência, sendo vista, observada, desejada!!
10 – Voyerismo

Assim como ser vista excita algumas mulheres, ver tambem excita outras. Assistir pessoas transando, se masturbando, é um afrodisíaco maravilhoso para algumas garotas. Ficar a parte assistindo alguém transar é parte do imaginário sexual escondido de um número considerável de mulheres. E isso inclui ver estranhos transando ou seus propríos parceiros com outras mulheres.
E aí gostaram da lista? E então garotas, suas fantasias sexuais se enquadram entre as citadas? De qual fantasia esquecemos? Completem a lista nos comentários! E os garotos, de qual gostariam de participar?

Bate em mim ..bate safado!!!

Been there, done that.
Thinking the bottom is the only place to spank a hotwife is like thinking a husband is the only one to be inside her.